Brasil: O terrorismo é aqui – 155,52 mortos por dia.

Disparo de Arma de Fogo
Embora seja lamentável a morte das 127 pessoas, vítimas de ataques terroristas coordenados em seis locais distintos em Paris (França), no dia 13 de novembro (ontem), nós, brasileiros, temos o nosso próprio terror.
Segundo noticiou o Portal G1 (http://g1.globo.com/politica/notici…), em 2014, no Brasil, morreram 52.336 pessoas vítimas de assassinatos (homicídios dolosos), 2.061 pessoas vítimas de latrocínios (roubos seguidos de morte) e, 2.368 pessoas em confrontos com a polícia (autos de resistência), totalizando 56.765 mortos, ou seja, uma média de 155,52 pessoas vitimadas diariamente por letalidade violenta no país. Isso, considerando apenas os dados oficiais, as mortes que foram registradas.
Comparando a tragédia ocorrida no dia 13, na França, com a tragédia diária do Brasil, são 28,52 mortes a mais, porém, atentados terroristas são esporádicos e têm autoria certa, neste caso, o Estado Islâmico. Já o terror que vivenciamos no Brasil é diário e não tem identidade, embora costume ter classe social e cor, já que dos 607.731 presos no país, 67% (407.178 presos) são negros, segundo o Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias do Departamento Penitenciário Nacional (http://www.justica.gov.br/noticias/…).
Logo, preocupemo-nos menos com com o terrorismo na França e passemos a nos preocupar mais com o terror cotidiano, que me parece estar passando despercebido, no Brasil.
Anúncios

10 pensamentos sobre “Brasil: O terrorismo é aqui – 155,52 mortos por dia.

  1. Perfeito, Ítalo. Parabéns.

    Curtido por 1 pessoa

  2. Martha de Lourdes Ferreira Vieira disse:

    Parabéns, Capitão Ítalo, pelo seu artigo bem esclarecedor sobre a necessidade de acordarmos enquanto é tempo/ O terrorismo há muito se instalou no Brasil em decorrência da incompetência e má fé desse governo comunista tendencioso!!!

    Curtir

  3. Triste realidade. Os olhos da maioria dos brasileiros(inclusive governantes), voltados para o exterior, não veem o caos dentro de casa.
    Ótimo artigo.

    Curtido por 1 pessoa

  4. Fábio disse:

    Ídolo, primeiramente estou orgulhoso até onde chegou. Com estudo e educação vamos longe. Parabéns. Concordo com você em gênero, número e grau. Colocarei aqui em sua página, um texto que escrevi, mas que não coloco em público. Certamente seria crucificado. Então, segue: “Mas que vontade de dizer…. Vejo muitas msgs de apoio à barbárie que aconteceu na França, estou também triste, pois o planeta em que vivemos tem espaço para todos e possamos conviver com paz, mesmo com diferenças religiosas, de pensamentos, etc. Pior seria se tivéssemos idéias iguais na minha humilde opinião, penso que devamos nos preocupar mais com nosso País que igualmente está sofrendo barbáries como essa, todos os dias, pessoas sendo assassinadas, pessoas sendo estupradas, rios poluídos, pessoas perdendo moradias, animais sendo abandonados, e por aí vai… Ficaria aqui enumerando milhares de anomalias que estamos sofrendo, e infelizmente a atenção de muitos brasileiros estão voltados para França, Paris, uma cidade que realmente é o cartão postal do mundo, com seu charme peculiar que vislumbram principalmente os mais românticos. Que o nosso bom Deus possa confortar à todos que estão sofrendo com todos os males que existem nessa vida. Mas o Brasil precisa de tanta atenção quanto… Não vejo notícias boas quando sofremos e uma barbárie dessas por aqui vindos desses países de primeiro mundo. Não vejo notícias, mensagens de apoio humanitário desses países quando o Brasil tem um acidente ambiental de uma grandeza imensurável como esse em Mariana-MG. Entendo que há milhares de “brasileiros” que moram na França, assim como há milhares de “brasileiros” que moram no EUA, no Japão, na Alemanha, na Inglaterra, etc, etc, etc. Mas o que será dos brasileiros que moram no Brasil se não houver um Brasil para morar? Mas que vontade de dizer….

    Curtido por 1 pessoa

  5. Iza Lúcia disse:

    Muito bom artigo. A grande questão do Brasil é que a maioria das mortes daqui estão relacionadas com o tráfico, assaltantes mortos, enfim, articulados com a questão da pobreza. Fato que já se naturalizou, pois nossa sociedade hipócrita acredita que bandido bom é bandido morto.

    Curtir

  6. Regina Zanetti disse:

    Uma coisa não invalida a outra. Todas são barbáries, todos sentem a mesma dor. Todos sofrem da mesma forma, seja um morto ou 50 mil.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s