Policial civil é preso por atirar contra policiais militares no Rio de Janeiro

 

Policial do CORE efetuou disparos de arma de fogo contra policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque durante protesto no Centro do Rio.

Entre os manifestantes estavam agentes policiais, funcionários da Saúde e do Sistema Judiciário, além de aposentados

Um policial civil lotado na Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE) da Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) efetuou disparos de arma de fogo, nesta quarta-feira, 1º, contra policiais militares do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq) da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro (#PMERJ) durante protesto de servidores no Centro da capital carioca.

Segundo a Assessoria de Imprensa da PMERJ, o policial civil, identificado como Wandre Nicolau de Souza, lotado na CORE, efetuou os disparos de arma de fogo contra os policiais militares na esquina da Avenida Nilo Peçanha com a Avenida Rio Branco, no Centro do Rio de Janeiro, e se evadiu do local do crime usando o metrô. No entanto, foi capturado e preso ao sair na estação Jardim Oceânico, na Barra da Tijuca.

Com o policial civil foi encontrada a arma do crime, uma pistola da marca Glock, calibre .40, ainda com as munições faltando no carregador da pistola em tela. Cabe ressaltar que, o policial em questão, estava sendo monitorado desde o momento dos disparos no Centro do Rio. Após preso em flagrante delito, o mesmo confessou o crime e, por determinação do Chefe do Estado Maior da PMERJ, foi conduzido à Corregedoria Interna da Polícia Civil (Coinpol) para autuação.

O protesto dos servidores estaduais

O policial civil Wandre Nicolau de Souza estava entre os manifestantes do #Protesto dos servidores estaduais contra o pacote de medidas de austeridade fiscal, apresentada pelo governador Luiz Fernando de Souza, Pezão, à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (ALERJ), como alternativa para solucionar a crise financeira do Estado do Rio de Janeiro.

Contudo, esse protesto, o terceiro do ano, foi marcado por atos de violência, inclusive, um ônibus foi incendiado entre a Avenida Rio Branco e a Rua da Assembleia.

Entre as medidas apresentadas pelo governo, os servidores estaduais estão contra o aumento da tarifa fixa previdenciária de 11% para 14%, além de uma alíquota extra de mais 8% durante três anos, que ainda pode ser prorrogada por mais três anos. #PolicialCivilPreso

Fonte: Policial civil é preso por atirar contra policiais militares no Rio de Janeiro

Capitão Ítalo
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: